O Medo de Falar em Público

Muitas vezes encontro nos treinamentos e workshops in-company ou nos eventos abertos pessoas que, embora precisem falar em público, tem medo disso e sentem-se desconfortáveis no lugar de destaque que eventualmente precisam ocupar. Profissionais excelentes, competentes e altamente realizados; mas que sentem-se muito mal “sob os holofotes”. 

O medo de falar em público aparece em todas as profissões, idades e estilos de vida. Muita gente que você jamais imaginaria sente isso. Aliás, já é quase um clássico atores e atrizes famosas que declaram-se “tímidos” quando estão “fora do personagem”. A maioria das pessoas que hoje procura meu trabalho de speaker training (preparação para falar em público) são executivos ou CEOs habituados a isso; pessoas públicas; médicos que se apresentam frequentemente em congressos; jornalistas ou influenciadores digitais com muitos seguidores; profissionais de TV ou video que ficam menos à vontade para falar “ao vivo”. Todos estes, embora já relativamente “confortáveis”, sabem que existe espaço para melhorar a performance no palco, na convenção ou na reunião; ou seja, sabem que há espaço para “afiar o machado”. Mas neste artigo vou falar sobre o medo de falar em público que afeta tanta gente.

Talvez a causa mais comum que as pessoas indicam para o medo de falar em público seja o medo de errar. Principalmente pelas expectativas irrealistas e quase desumanas que são impostas às crianças desde muito cedo; as pessoas acabam sendo ensinadas a temer o erro. Isso é absurdo porque a verdade é que “só não erra quem não faz”. Além disso, na verdade; ser uma pessoa e “jamais errar” não é sequer uma possibilidade.

À parte isso, as pessoas não querem que isso aconteça.. em público! É compreensível, claro; mas o seu maior inimigo quando em público é a sua própria pressão interna para “não errar; não agora…”  Isso é que torna o momento aterrorizante. A visão de que “este” é um momento onde “não pode” errar. O fato é que muitos dos melhores oradores do mundo já erraram. Muitos políticos bons de discurso já erraram falando em público (estamos falando somente do ato de falar em público, ok?)  ;-). 

Mais ainda: todos os apresentadores do Jornal Nacional já erram, ao vivo, várias vezes; e muitas delas, você viu. Acontece. O melhor que você pode fazer para si mesmo é compreender isso: “acontece”. E se acontecer com você, poderá não ser agradável.

MAS: pare; respire. Olhe o seu público nos olhos e, claramente; corrija o erro. Não há o que fazer, a não ser isso. E isso, simplesmente, é o que coloca o erro no passado; e te dá uma nova oportunidade, imediatamente, de “apagar” ou no mínimo, relativizar muitíssimo a importância do erro; primeiro com a atitude correta e modesta: “errei”. Em seguida, continuando a sua fala e se mostrando interessado e interessante. Interessado em doar-se de verdade a quem te ouve. Interessante por ter-se preparado; por ter estudado e ensaiado sua apresentação; por ter dado importância e respeito ao seu público.

Além disso, tem um outro fator interessante: muitos oradores “acertaram” suas performances durante uma fala pública logo em seguida a um “erro”. Adivinha por que? Porque, uma vez que já tinham errado e que o “maior” medo já tinha se realizado; eles se permitiram relaxar um pouco. E tantas vezes, era só o que era preciso...